Observações de marte.

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Dom 22 Jan 2012, 21:17

Não consigo entender porque demorei duas horas para conseguir observar marte com nitidez e por apenas uns 10 a 15 minutos. Na observação anterior eu fui subindo a magnificação em sequência e quase que imediatamente, e tudo estava indefinido até eu atingir 393x.
Dessa vez até 175x a imagem estava excelente porém o disco do planeta estava minúsculo. De 196x até 242x estava péssimo e com 393x entrei em desepero.
No final, numa "olhada de misericórdia" por volta de 05:40 e com uma ocular de 4mm (que eu já tinha desmontado duas vezes nesse meio tempo) e 393x e com o céu já ficando azul, o planeta marte deixou-se mostrar um disco com uma fase perceptível a oeste, a calota polar branca, a região de Acidalia Planitia emergindo dela e descendo do norte em direção ao equador, e na extremidade sul uma mancha contínua contendo as regiões de magaritifer Terra, Capri Chasma e Nereidum Montes de leste a oeste e todas com uma coloração cinzenta-esverdeada porém um pouco esmaecidas e as áreas claras semelhantes às áreas encontradas aqui na terra e que são compostas de minério de ferro quando vistas à distância.
Foi o melhor que pude descrever.
Vou desmontar a ocular de 4mm de novo, dar uma limpada e realinhar os elementos e tornar a tentar outra vez nessa madrugada com e sem o diafragma.
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Marte em 133X60mm

Mensagem  ajc em Ter 24 Jan 2012, 17:39

Amigos,
...essa semana as nuvens deram um tempo e as madrugadas choveram estrelas. Em janeiro de 2010 não consegui boas imagens de Marte pois a eclíptica estava muito baixa, mas agora já melhorou bem e as imagens também melhoraram.

Consegui uma surpreendente imagem desse desafiador planeta com um 60mm F/13 e 133X. E usando uma ocular de 5mm, sem barlow, a imagem ficou maior (160x) mas não manteve a mesma nitidez. Foi possível ver a tal calota branquinha com uma linha escura que a contornava. A presença dessa linha escura tornou mais visivel a calota pois funcionou como uma divisória.

Mais adiante, maior e mais perto, a imagem deve melhorar e o horário para vê-lo, também!
avatar
ajc
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 500
Data de inscrição : 09/11/2011
Idade : 51
Localização : Belo Horizonte / MG

http://astronomiaemusica.no.comunidades.net/index.php

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Ter 24 Jan 2012, 21:22

Exatamente ajc, essa é a melhor opção para melhor observar marte: deixar ele aumentar o seu diâmetro aparente naturalmente com a sua aproximação com a terra e assim não precisar-mos forçar nos aumentos.
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Qui 26 Jan 2012, 06:03

26/01/2012
Observação de marte

-luneta Jaegers 103mm d/f 1575mm (F/15)
-oculares: B. Riedel com vidro Schroter 6.5mm (242x) e OMNI 9mm (175x)
-filtros: #11-amarelo/verde e #21-laranja
-hora: início TU 07:00 término 09:00
-atmosfera: UR 20% máxima 19º, presença ao nível do horizonte de alto cúmulos a leste e sudeste.

Marte apresentou-se nítido imediatamente com 242x. As regiões escuras apresentavam uma coloração cinzenta-esverdeada e as áreas claras com tons róseos e uma mistura entre alaranjado e vermelho, mais uma vez parecidas com o minério de ferro visto à distância, além da calota polar bastante brilhante e branca, delimitada por uma linha escura e quase negra entre ela e as áreas claras.
O panorama geral começa com a calota Planum Boreum bastante branca e brilhante tendo a sudeste, leste, nordeste e sul a planície Acidalia Planitia. Abaixo do equador e entre ele e a região polar, de leste a oeste as áreas Capri Chasma, Xante Terra, Margaritifer Terra e Arabia Terra formavam uma configuração única e estreita de coloração cinza-esverdeada no disco do planeta e a famosa região de Syrtis Major (ou mar da ampulheta) já havia começado a virar no terminadouro a oeste do planeta porém ainda era visível uma boa porção dessa região. No outro pólo bem ao extremo encontrei Noachis Terra.
As imagens por um espaço de quase uma hora mostraram-se ótimas, estáveis, calmas e sem reflexos e com os detalhes apresentando uma nitidez razoável podendo-se sem dificuldade identificar as principais configurações escuras mais evidentes. A calota Planum Boreum estava bem delimitada por uma linha negra que apresentava uma proeminência ou uma pequena ponta a oeste do meridiano central e em direção à linha do equador do planeta.
Foram imagens ainda com um tamanho aparente pequeno porém essas áreas citadas foram registradas com ou sem o uso de filtros. Sem dúvida agora pode-se afirmar com certeza que vale mais esperar uma maior aproximação do que usar de aumentos elevados a não ser que a qualidade ótica do instrumento for excepcional ou se o sistema de diafragmação da objetiva for adequado a uma determinada razão focal, e na observação de hoje a ocular de 6.5mm feita de vidro alemão (Schroter) mostrou imagens com ótimos contrastes e sem reflexos alaranjados, porém no caso de marte vai depender de uma observação efetuada por duas atmosferas, ou seja, a nossa e a dele que até certo ponto é bastante instável e imprevisível por causa das tempetades de areia e pó que deixam as configurações escuras encobertas e da presença de nuvens (azuis e amarelas) na atmosfera marciana.
Classifico essa sessão de observação de hoje como muito boa, algumas vezes até ótima, porém como eu disse atrás, ainda preciso esperar ele aumentar mais o seu diâmetro aparente naturalmente durante o período anterior e posterior da máxima aproximação desse planeta difícil.


Última edição por Bruno em Qui 26 Jan 2012, 11:50, editado 3 vez(es)
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica inverno marciano

Mensagem  ajc em Qui 26 Jan 2012, 08:04

Olá Bruno, por aqui Marte também se mostrou bem visível. Em 178x pude notar um esbranquiçado no polo oposto ao a calota. Seria o inverno marciano congelando os dois polos? Você também viu isso?
avatar
ajc
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 500
Data de inscrição : 09/11/2011
Idade : 51
Localização : Belo Horizonte / MG

http://astronomiaemusica.no.comunidades.net/index.php

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Qui 26 Jan 2012, 10:23

Olá ajc, lá em marte enquanto temos inverno em um hemisfério no outro temos verão e eu percebí isso (uma claridade ou iluminamento) abaixo e ao sul da região Noachis Terra (seria a região de Hellas Planitia?) e outro clareamento ou mancha no limbo leste exatamente por sobre a linha do equador, mas preferí esperar até a próxima observação para ter uma certeza de que não foi pelo fato de eu ter usado uma ocular que nunca tinha usado antes e por ser também de ótima qualidade para observar marte.
Na próxima madrugada do dia 27/01 entre 05:30hs e 06:00hs (horário de brasília) teremos condições similares de posicionamento de forma que possa vir a facilitar a observação bem aproximada dessas regiões.
Fiquemos de olho então ok?


Última edição por Bruno em Qui 26 Jan 2012, 22:53, editado 3 vez(es)
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Qui 26 Jan 2012, 10:40

A título de informação vou passar as longitudes aerográficas e as estações de marte:
0º-90º : no hemisfério norte é primavera e no sul é outono.
90º-180º : no hemisf. norte é verão e no sul é inverno.
180º-270º : no hemisf. norte é outono e no sul é primavera.
270º-0º : no hemisf. norte é inverno e nos sul é verão.

A calota polar sul em marte aumenta muito no inverno que é de longa duração e muito frio, e se reduz rápidamente durante o seu verão curto e quente. Já a calota polar norte não apresenta variações tão extremas.
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Qui 26 Jan 2012, 18:10

Estive fazendo umas verificações e através de uma hipótese pode ser que o clarão que eu observei virando no limbo leste de marte seja o Olympus Mons (o vulcão Monte Olímpo) pois ele costuma se apresentar sob a forma de um ponto claro sob boas condições de transparência atmosférica aqui e lá em um instrumento que aguente até 250x de aumentos e a minha luneta de 4.1/8" de abertura teóricamente aguenta 257x. Foi nítido esse clarão virando no limbo na linha do equador e é exatamente onde ele está localizado, sendo que ele (se for) espargia a sua claridade também um pouco para fora do limbo contra o fundo negro do céu por alguns instantes, diferente da área esbranquiçada como um ligeiro clareamento nas regiões polares próximas ao limbo e que observei em Noachis Terra parecendo um fino "casquete" polar.
Essa casca fina polar se assemelhava mesmo a uma estrutura branca fracamente iluminada pelos raios solares por estar no extremo sul marciano.
Só mesmo observando marte com as mesmas configurações voltadas para a terra e rever se possível uma nova rotação dele nessas regiões em condições pelo menos semelhantes. Se as condições atmosféricas aqui e lá contribuírem pode ser que eu consiga tirar estas dúvidas. Esta será então a primeira vez em que observei o Olympus Mons.
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Sex 27 Jan 2012, 00:14

São 00:48hs e marte está a uns 35º a 40º acima do horizonte leste porém uma névoa avermelhada e estrato-cúmulos da mesma cor deixaram o fundo do céu que era negro avermelhado também. Dessa forma fica difícil qualquer conclusão. Seja o que forem aquelas misteriosas manchas esbranquiçadas ou clarões marte estará com o seu diâmetro aparente aumentado em quase até algo entre 1/3 a 1/4 do seu diâmetro durante o período da oposição, mas assim como ele aumenta rápidamente o seu diâmetro aparente na quinzena que antecede a oposição com a mesma velocidade diminui até fins da outra quinzena após ela. Na verdade esse período ao longo das observações de marte pode estender-se até a uns 40 dias favoráveis a cada oposição seja afélica ou periélica, porém dependeremos das condições climáticas observadas através de duas atmosferas (a nossa e a de marte) com comportamentos distintos e até imprevisíveis.
A oposição ocorrerá no dia 03/03/2012 então os 15 dias antes e os 15 dias após a oposição serão os melhores. Cada instrumento alcançará o seu melhor rendimento sem precisar forçar muito nos aumentos, apenas deixando marte aumentar o seu diâmetro naturalmente com a sua máxima aproximação durante esses 30 dias e utilizando o aumento máximo ideal para o telescópio utilizado compatível com o tamanho da abertura livre dele, e assim obter-mos imagens visuais com qualidade.
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Sex 27 Jan 2012, 21:04

E por falar em épocas favoráveis para uma melhor apreciação dos panoramas na superfície de marte na próxima oposição especialmente à partir do dia 21 de fevereiro próximo das 03:30hs em diante começaremos a ter um ótimo panorama das suas principais configurações escuras e mais evidentes, começando com a região da planície Acidalia Planitia bem abaixo da calota Planum Boreum e por sobre o meridiano central do planeta, e como será verão no hemisfério norte marciano uma diminuição sensível no tamanho da calota polar poderá ser registrada. Nesse dia em especial abaixo da linha do equador do planeta e começando pelo limbo a sudeste até ao limbo sudoeste e na sequência poderemos visualizar uma faixa grossa, irregular e escura, começando pelo Valle Marineris, as áreas em Capri Chasma, os Nereidum Montes, a Xante Terra, e a região de Margaritifer Terra terminando na Arabia Terra no limbo oeste do planeta. Sobre o disco mais ao extremo sul na região de Noachis Terra poderemos ver um clareamento ou uma "casca" da calota polar sul um pouco mais visível por ser inverno lá.
Interessante também será atentar para a grande inclinação do eixo do planeta especialmente antes da alvorada.
Já no dia 03 de março e às 03:30hs teremos um panorama completo do outro lado do planeta com a famosa região de Syrtis Major bem no meio do disco e em cima do meridiano central e tendo ao norte a região Utopia Planitia e no extremo norte a calota Planum Boreum bastante reduzida em seu diâmetro. A sudoeste de Syrtis Major poderemos observar Hellas Planitia, e Promethei Terra se estendendo até terminar em Hesperia Planum próximo ao limbo oeste. Abaixo de Hellas Planitia poderemos ver um "casquete" polar fino e alongado. Um grande desafio será observar a região isolada de Elysium Planitia a noroeste de Syrtis Major
Os instrumentos se valendo de pelo menos aumentos de 2 x o diâmetro da objetiva em milímetros serão requeridos, por exemplo: para aberturas de 70mm (70x2)=140x, para 80mm (80x2)=160x e assim sucessivamente. E nos instrumentos com um F mediano (entre 10 e 12) os filtros serão de grande auxílio, tais como os de cores laranja, amarelo e o verde.
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Sab 28 Jan 2012, 19:30

Nessa próxima madrugada do dia 29/01/2012 e se o céu ajudar às 04:00hs teremos uma excelente oportunidade de ver a famosa configuração escura Syrtis Major (Mar da Ampulheta) bem em cima do meridiano central do planeta com a sua famosa configuração em forma de "V". Ao norte e às margens da calota Planum Boreum teremos a não menos famosa região de Utopia Planitia começando no meridiano central e se estendendo até ao noroeste de marte. Ladeando o casca da calota oposta teremos a sudeste a região de Hellas Planitia e a sudoeste a Hesperia Planum.
Interessante também será começar a reparar num efeito contrário entre as calotas polares pois a Planum Boreum começará a diminuir gradativamente o seu tamanho aparente por causa do verão no hemisfério norte marciano enquanto a calota polar sul irá aumentar devido ao inverno nesse hemisfério.
E não percam a oportunidade também de dar uma conferida em saturno que está generosamente dando uma boa mostra dos seu sistema de anéis e luas além de uma interessante e bela faixa equatorial.
Céus abertos e boas observações.
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Seg 30 Jan 2012, 13:15

30/01/2012
Observação de marte

Luneta Jaegers 103mm F/15
ocular: Plossl de 15mm (105x), OMNI 9mm (175x) e Zeiss 6.5mm (242x).
atmosfera: durante os primeiros 20 minutos de observação a transparência e estabilidade foram excepcionais. Aos 25 minutos um denso nevoeiro reduziu a visibilidade a zero.

Foi por acaso que ao acordar às 03:18hs quando ao olhar pela janela ví o céu deslumbrante. As estrelas mais brilhantes quase não piscavam, cintilavam calmamente. Marte parecia feito de fogo de tão vermelho que estava. A olho nu observava no céu inúmeros objetos Messier além do raro "saco de carvão" no Cruzeiro do Sul. Demorei uns 40 minutos para carregar a coluna equatorial e depois montar o Jaegers, e aí então comecei a sessão de observação às 04:15hs (TU 07:15).
Comecei com marte já quase passando pelo zênite com 105x e ví um minúsculo disco rosa-alaranjado e escurecido no centro além da calota polar branca e brilhante. Passei para 175x e já pude perceber que o escurecimento no centro apresentava áreas distintas com colorações esverdeadas e as áreas claras se apresentavam róseas alaranjadas no disco. As configurações escuras e esverdeadas apresentavam as suas formas apreciáveis porém ainda muito pequenas. Passei logo para 242x e fiquei admirado com a qualidade das imagens. Apesar de marte ainda apresentar um tamanho aparente ainda bem pequeno (talvez uns 10" a 12" de arco) as configurações escuras logo tomaram forma e foi fácil reconhecê-las e nomeá-las. De imediato a calota Planum Boreum ainda apresentava um tamanho aparente grande e de coloração cinza-esbranquiçada, delimitada por uma linha escura ao sul tendo a noroeste a área de Utopia Planitia, famosa região onde desceu a sonda Viking II e que começava nessa linha escura que delimitava a calota e descendo em direção ao equador e se "esticando" a noroeste também. Mais ao sul dessa região pude constatar a desafiadora região de Elisyum Planitia (foi o meu troféu nessa sessão de observação).
Abaixo da linha do equador eu podia ver com uma nitidez admirável a quase triangular região de Syrtis Major tendo a sudeste Arabia Terra e a sudoeste a região curva de Oenotria Planitia até Hesperia Planum se estendendo e terminando em Hellas Planitia. No extremo sul a outra calota estava um pouco mais visível e mais bem definida próxima à região de Promethei Terra. Todas essas configurações escuras apresentavam uma coloração verde desbotada, quase que como se tivesse misturada com cinza, um cinza-esverdeado porém com mais ênfase na cor verde.
O disco nas áreas claras apresentavam uma coloração se me permitem tentar ilustrar como que "rósea-laranja-enferrujada", uniforme e sem áreas mais claras ou esbranquiçadas como da última observação. Nas imagens o contraste do céu de fundo apresentava-se negro e o contorno do disco do planeta não lançava reflexos luminosos e apresentava as configurações com muito bom contraste inclusive ainda denunciando a fase do planeta a oeste com esse limbo ligeiramente convexo. Apesar do pequeno tamanho do disco do planeta parece que dei muita sorte mesmo por apenas 20 minutos, parecendo que eu estive no lugar certo e na hora certa pois uma coincidência na transparência atmosférica aqui e na atmosfera de marte me proporcionaram uma boa visibilidade das configurações mais evidentes que se mostravam voltadas para a terra. Sinceramente, apesar de ser muito menor do que jupiter mesmo numa oposição, marte hoje estava dentro dos limites do meu refrator de 4 polegadas simplesmente impressionante.
Após 25 minutos de ótimas observações um nevoeiro cobriu todo o céu em questão de minutos e foi então impossível continuar.
Os 40 minutos seguintes foram gastos para desmontar tudo, ou seja, gastei uma hora e vinte minutos de trabalho para conseguir apenas 20 minutos de observação, mas é o preço que esse planeta impiedosamente às vezes cobra para nos revelar as suas configurações, pois nas oposições afélicas como a próxima no dia 03/03/2012, apesar de marte apresentar uma atmosfera relativamente calma a nossa se apresenta para nós numa época de grande instabilidade.
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Ter 31 Jan 2012, 14:59

Sobre as configurações escuras mais evidentes e mais fáceis de se observarem em marte ao telescópio:

Observem ao lado a foto de marte que acompanha as minhas postagens. No pólo de cima temos a calota norte Planum Boreum, uma sólida calota polar que chega a estender-se até cerca de 65º N mas agora está com um diâmetro relativamente diminuído pois com certeza essa foto foi tirada durante uma oposição afélica por causa da boa transparência atmosférica e da calota se apresentar diminuída. Nessas ocasiões é verão no hemisfério norte marciano e essa calota recua de forma bastante simétrica e no início do verão marciano surge uma fratura nela apresentando uma fenda escura ou a Rima Tenius aparentemente visível dentro dela na foto. Uma massa clara conhecida como Olympia costuma separar-se da calota formando outra fenda, a chamada Rima Borealis. A calota também apresenta algumas manchas escuras no seu interior devido à sua diminuição deixando á mostra brechas no solo local. Ao redor da calota temos uma estrutura em forma de contorno ou anel ou ainda um colar de coloração escura, às vezes apresentando-se com uma coloração bem negra, tendo à esquerda um clareamento provávelmente devido à presença de nuvens nas camadas mais altas da atmosfera marciana e as regiões próximas ao limbo também apresentam clareamentos nas bordas no disco do planeta sugerindo nuvens cirros que lá são comumente encontradas.
A configuração escura e grande meio quadrada e com uma ponta para o leste (à direita) logo abaixo da calota é a planície Acidalia Planitia, que nessa foto se encontra em cima do meridiano central do planeta, tendo a sudeste (à direita e mais acima na foto) uma pequena configuração escura e um pouco esmaecida, chamada de Deuteronilus Mensae. Nilokeras Scopulos é a pequena configuração a oeste (à esquerda na foto). Arabia Terra se encontra próxima do pólo e a nordeste no disco. A região alaranjada entre as duas configurações escuras mais evidentes nos dois hemisférios são a chamada Xante Terra e a ampla configuração escura abaixo da linha do equador começa com Margaritifer Terra cujas extremidades na borda norte aparecem como que fragmentadas e se espalhando a oeste do meridiano central paralelas ao equador do planeta, e Capri Chasma se encontrando a oeste e no leste começando no meridiano central temos a configuração alongada do golfo Sinius Sabaeus que precede a região de Syrtis Major. No centro da configuração escura inferior e mais ao sul temos Nereidum Montes. No extremo sul temos os Charitus Montes delimitando a borda da calota polar sul que durante as oposições afélicas pouco nos mostra sobre a sua estrutura apesar de ter alongada a sua extensão por causa do inverno nessa época no hemisfério sul marciano. A rotação do planeta aí acontece da direita para a esquerda (de leste para o oeste).
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Sex 03 Fev 2012, 09:55

03/02/2012
Observação de marte

Instrumento: Luneta Jaegers 103mm d/f 1575mm (F/15).
Oculares: 15mm (105x), 10mm (157x), 9mm (175x), 8mm (196x), 6.5mm (242x) e 4mm (393x).
Filtros: #11-amarelo-verde, #21-laranja, polarizador GSO.
Condições atmosféricas: UR 15% máxima 18º contendo alguns cirros a leste mas no geral excelente.
hora: início 04:30hs (TU 07:30)-término 06:00hs (TU 09:00).
Localização: 19º42'03"S/43º57'18"W

Comecei a sessão de observação aumentando gradualmente, e com 105x o disco de marte revelou-se diminuto e com uma coloração rósea-alaranjada com a calota Planum Boreum proeminente e bem visível de coloração branca e bem brilhante no pólo norte marciano.
Com aumentos entre 157x e 175x foram registradas as mesmas observações anteriores e com escurecimentos próximos à borda sul da calota e a sudeste e sudoeste no disco do planeta.
Elevando os aumentos para 196x e utilizando um filtro polarizador as configurações tomaram forma, e confirmei a calota Planum Boreum com uma coloração esbranquiçada delimitada por um "anel" ao sul como uma linha bastante escura e nela começava descendo em direção ao equador a região de Utopia Planitia, tendo a oeste a desafiadora e região de difícil observação Elysium Planitia. Abaixo do equador e a sudeste reconhecí a região de Arabia Terra próxima ao limbo leste com a configuração de Syrtis Major a oeste e já entrando no disco tendo na sua extensão a oeste a região curva de Oenotria Scopulus e as áreas de Tyrrhena Terra, Promethei Terra e na maior extremidade da configuração quase que tocando o limbo na parte sudoeste a região de Hesperia Planum culminando na Terra Cimmeria. A calota polar Sul aparecia apenas como um clareamento nas regiões polares próximas a Hellas Planitia.
Elevei para 242x com uma ocular Zeiss de 6.5mm e as configurações se definiram melhor. Testei com o filtro #11-amarelo-verde e as áreas claras ficaram mais destacadas das configurações escuras que sofreram um leve acréscimo no esverdeamento nelas observado. As áreas escuras acima citadas apesar de apresentarem as bordas ainda como que meio difusas tinham as suas formas bastante distintas sendo muito fácil reconhecê-las e lhes dar nome. Aproveitando as ótimas condições atmosféricas e com marte já passando do zênite utilizei uma ocular de 4mm (393x) com o filtro #21-laranja, e esse filtro mostrou porque veio ao mundo. Os contrastes entre as configurações claras e escuras ficaram bem melhores e mais realçados, e nas configurações escuras embora com as extremidades das bordas difusas e elas ficarem como que mais escurecidas, perderam apenas parte da coloração esverdeada.
As configurações escuras apresentavam uma coloração cinza-esverdeada sem o filtro 21-laranja e as bordas se apresentavam como que difusas porém as formas nos contornos das configurações mais evidentes eram nítidas e as áreas claras apresentavam-se ora róseo-alaranjado ora róseo-"enferrujado". A calota polar Planum Boreum ainda apresentava um diâmetro apreciável e a região de Elysium Planitia ainda se conservava visível bem como um clareamento nas regiões do extremo sul denunciando a presença da outra calota polar. Mesmo com 393x dava para ver uma estrela de fundo a leste de marte. Realmente hoje o filtro #21-laranja na superfície marciana provou que é um filtro excepcionalmente indicado para destacar as configurações escuras na superfície das áreas claras. Quando o planeta começou a declinar a oeste as imagens começaram a perderem a nitidez e alguns lampejos alaranjados começaram a aparecer contra o fundo do céu antes negro e próximo ao limbo do planeta. Nesse ponto eu encerrei a sessão de observação.
Apesar de ainda bastante pequeno o diâmetro aparente do planeta, algo perto de 12" de arco no máximo e nessa oposição afélica no dia 03/03/2012 ele chegará a 14" de arco o que pode parecer alguma melhora, porém só nas oposições periélicas (as de 15 em 15 anos) é que marte chega a ter impresionantes 25.4" de arco, porém é a época das tempestades de areia e pó deixando todo o disco do planeta alaranjado e fazendo desaparecer as configurações escuras. Você espera 15 anos, às vezes até 17 anos essa máxima aproximação de marte (56 milhões de km contra uns 90 a 100 milhões de km na de agora) e corre o risco de passar os melhores 40 dias para observá-lo vendo apenas um disco alaranjado. Esse planeta é complicado!
Bem, todas as áreas acima citadas foram reconhecidas e o diâmetro aparente do planeta no campo do refrator aumentou sensívelmente por causa do aumento elevado porém não recomendado fazer isso pois creio que essa extrapolação de limite de aumentos aconteça naturalmente em instrumentos (no caso de serem refratores) acima de 4 polegadas de abertura e no mínimo a distância focal 15x o diâmetro da objetiva em milímetros, porém não quero afirmar isso como sendo a verdade pois apenas estou supondo e me baseando em experiências bem sucedidas que tive também com um refrator Zeiss de 150mm F/15 da UFMG e um outro refrator de 200mm F/15 da Clavé instalado na UFOP, quando então abusei nos aumentos. Seria coincidência o fato de terem sido todos os instrumentos que eu utilizei demoradamente (100mm, 150mm e 200mm) com um F/15 e apesar de eu ter extrapolado nos aumentos eles não terem se saído mal mantendo um bom contraste? Há uma perda de luminosidade, é claro, porém no caso de marte o que define uma observação bem sucedida é a distinção entre as áreas claras e escuras e isso pede mais contraste nas imagens com a luminosidade tendo um papel secundário.
E desconfio também que no caso dos refratores com um F mediano ou curto o uso de um diafragma na objetiva fará esse papel, e também podem terem sido conjuntamente as excepcionais condições atmosféricas aqui e lá em marte na mesma hora aliada à escuridão total em que eu me encontrava fazendo as observações até o céu começar a ficar azul.
Isso tudo o que eu quis dizer não tem nada a ver com a resolução das imagens obtidas, o que foi comparado e avaliado foram os contrastes continuarem bons apesar do aumento ter superado o coeficiente 2.5x o diâmetro da objetiva em milímetros num instrumento com uma distância focal 15x o diâmetro da objetiva. O que buscam os refratores apocromáticos com a justaposição tríplice das lentes compondo a objetiva o dubleto acromático parece conseguir imitar se tiver uma grande distância focal, ou seja, imagens mais contrastadas e na luminosidade ideais sem a interferência da aberração cromática.
É uma pena marte ser um mundo tão pequeno e as melhores oposições ocorrerem somente de 15 em 15 anos (a última em 2003 e a próxima em 2018), mas mesmo assim foram imagens com uma boa nitidez e as configurações escuras mais evidentes dentro dos limites do meu velho refrator Jaegers mesmo com os contornos meio difusos foram reconhecidas sem dificuldades.
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Sab 04 Fev 2012, 09:21

04/02/2012
Observação de marte

Apenas para constar eu visualizei as mesmas configurações de ontem. Observei marte com a minha luneta de 4 polegadas F/15 durante uma hora (entre 04:30 e 05:30) e por momentos obtive boas imagens com a ocular Zeiss de 6.5mm e 242x mas as melhores ficaram com 196x numa simples ocular Huygens de 8mm que além de possuir um reflexo interno (fantasma) só possui dois elementos. Tenho a impressão de que para um mapeamento das principais configurações da superfície de marte são exigidos pelo menos 200x de aumento.
Além de ser menor do que a terra ele está a uns 90 milhões de km de distância, e com certa regularidade a mesma ocular ora proporciona imagens interessantes ora elas ficam incertas e/ou com reflexos alaranjados. Vou esperar até o dia 15/02 e começar a observar à partir das 23:00hs.
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica esbranquiçado a oeste

Mensagem  ajc em Dom 05 Fev 2012, 10:31

Nesta madrugada última a turbulência por aqui estava muito forte. E a imagem de Marte, um lixo. Porém, por alguns instantes, alguns segundos, a imagem vibrava menos, e pude ver um esbranquiçado a oeste, bem no limbo, que suponho eu ser as tais nuvens de limbo marcianas.
avatar
ajc
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 500
Data de inscrição : 09/11/2011
Idade : 51
Localização : Belo Horizonte / MG

http://astronomiaemusica.no.comunidades.net/index.php

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Dom 05 Fev 2012, 12:18

Olá ajc,
realmente tudo parece às vezes conspirar para tornar ainda mais difícil a já clássica reputação de marte como um mau objeto telescópico. À partir do dia 10/02/2012 à partir das 23:00hs marte começará a mostrar as suas principais configurações dando um giro completo durante o período de oposição até na primeira quinzena de março e num horário mais cômodo e com marte um pouco mais perto, ou menos longe que é o que mais parece .
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Admin em Seg 06 Fev 2012, 08:25

Planetinha de difícil observação, mas valeu o esforço ontem.
Minha melhor observação foi através da webcam NexImage aclopada na barlow.
Eis o setup:
Setup:
CPC 1100 + NexImage + Barlow + Registax V 2.1
06/02/2012 (dd/mm/aa)
Hora: 3:41h (Brasília)
Latitude 5 Sul, Longitude 39 Oeste
cheers



Abraços!
avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 239
Data de inscrição : 29/10/2011

http://astronomia.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Ter 07 Fev 2012, 21:18

É isso mesmo, de difícil observação marte apresenta as suas configurações com algumas reservas pois a época mais favorável para pegar-mos uma rotação completa começa à partir do próximo dia 15/02 à partir das 23:00hs.
Pois é parceiro, nessa sua foto invertida com o norte para baixo podemos ver a calota Planum Boreum no extremo do hemisfério norte junto com a famosa região de Utopia planitia ao sul dela, e mais um pouco ao sul dois leves escurecimentos que são Plhegras Montesa a sudoeste e Elysium Montes a sudeste. No extremo oposto do disco do planeta temos uma faixa escura que é a Terra Cimmeria formando uma configuração única com a região de Hesperia Planum e terminando no limbo oeste (à esquerda da foto) em Elysium Planitia.
Ficarei no aguardo de mais fotos, e não se esqueça, à partir do dia 15 até na oposição marte desfilará as suas configurações escuras meis evidentes à partir das 23:00hs, bem mais cômodo.



Última edição por Bruno em Sab 14 Abr 2012, 00:22, editado 1 vez(es)
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Foto com o F/15

Mensagem  Bruno em Dom 12 Fev 2012, 19:06

Essa foto de marte aí ao lado que acompanha as minhas postagens foi tirada com o meu Jaegers de 103mm F/15, e é assim que eu o vejo com cerca de 242x a 393x de aumentos. Não ficou muito boa pois foi usado um filtro verde e essa cor não é a ideal em um filtro para realçar as configurações escuras na superfície de marte (o melhores são o laranja e o amarelo), mas dá para se ter uma idéia do alcance das imagens que eu observo nesse planeta. A sua forma não está totalmente circular e apresenta uma ligeira fase. A calota polar norte Planum Boreum aparece embaixo, tendo acima dela (ao sul) a configuração denominada Utopia Planitia e a sudoeste a difícil e esmaecida configuração de Elysium Planitia, e abaixo do equador e a sudeste uma ponta da Arabia Terra e a famosa região de Syrtis Major seguida a oeste pela região de Oenotria Scopulus Hesperia Planum e Promethei Terra no hemisfério sul. A região no extremo sul e mais clara perto do pólo sul é Hellas Planitia.
Enquanto isso vamos aproveitando as brechas entre as nuvens nessa chuvarada sem esquecer do período favorável para as observações de marte que começam no próximo dia 15/02/2012 à partir das 23:00hs até ao dia 03/12 onde ocorrerá a aproximação máxima.


Última edição por Bruno em Sab 14 Abr 2012, 00:23, editado 2 vez(es)
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Qua 15 Fev 2012, 23:59

15/02/2012
Observação de marte
instrumento: refrator Jaegers 103mm F/15
oculares: 9mm (175x), 8mm (196x), 6.5mm (242x) e 4mm (393x)
filtros: amarelo e 21-laranja
cond. atmosféricas: boas, com alto-estratos a leste
hora: 00:00h TU/03:00

Mesmo com marte se aproximando da oposição afélica no próximo dia 03/03 o seu diâmetro aparente agora não deve estar mais do que uns 13" de arco, talvez nem isso. Tenho utilizado as oculares mais fortes (4mm e 6.5mm) e aumentos elevados (242x-393x) e um arsenal de filtros que apesar de apresentarem uma boa estabilidade no quadro em geral das imagens ainda assim a indefinição nas bordas das configurações das áreas escuras são uma constante, com contornos difusos mas com uma coloração nítidamente cinzenta-esverdeada. Mesmo com um refrator de 4 polegadas de abertura e aberto a F/15 numa oposição afélica terei de me resignar em mapear apenas as configurações mais evidentes, pois sem sombra de dúvidas só nas proximidades das oposições periélicas e durante elas é que com marte alcançando pelo menos uns 20" a 25" de arco de diâmetro aparente é que terei acesso a mais detalhes sutis.
O único inconveniente é que essas oposições favoráveis (as periélicas) só acontecem de 15 em 15 anos e a próxima será em 2018, com marte atingindo 24.1" de arco, quase o dobro do seu atual diâmetro aparente, porém na de 2016 ele estará com cerca de 18.4" de arco de diâmetro o que já melhora muito.


Última edição por Bruno em Qui 16 Fev 2012, 15:34, editado 2 vez(es)
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Qui 16 Fev 2012, 10:46

Existe uma diferença astronômica entre a observação visual e a astrofotografia porém ambas são muito importantes. A observação de marte tem sido um divisor de águas para mim e agora acredito que em relação a esse planeta por ser um mundo pequeno e geralmente se encontrar muito longe, 200x a 250x de aumentos são requeridos e para os refratores com aberturas medianas (70mm a 100mm) isso só será possível se mudar-mos a conduta nas observações, e que mesmo assim encontrarão dificuldades para determinarem com precisão as bordas das configurações escuras que se apresentam ainda difusas sobre a superfície durante as oposições afélicas. E a razão focal do instrumento influencia decisivamente na obtenção de bons contrastes no caso de dubletos acromáticos que idealmente devem possuir um F "lento" ou bastante longo (pelo menos 15x o diâmetro da objetiva em mm). Com um F inferior a isso o uso de filtros ou um diafragma se fazem necessários. Para as observações visuais definitivas de detalhes finos nas bordas das configurações na superfície de marte durante as oposições afélicas faz-se necessário um refrator acromático de 150mm de abertura e com um F 15 proporcionando um aumento de pelo menos 300x, e nos refletores um espelho de 225mm que descontando a sombra do secundário ficará com uma abertura total livre perto de uns 200mm e com um F 10 pelo menos.
Mas para aberturas um pouco inferiores ainda temos dois consolos, ou seja, nas proximidades das oposições periélicas (a cada 8 ou 10 anos) e durante elas (a cada 15 anos) marte quase dobra o deu diâmetro aparente pulando de 14" para 20" a 25" e é aí então que as observações visuais surtirão um maior efeito através dessas aberturas entre 3 e 4 polegadas de diâmetro no caso de refratores. E ainda temos outra saída pois não podemos culpar os instrumentos porque se forem utilizados na época certa (infelizmente um pouco longa no caso de marte) as aberturas moderadas quando associadas à astrofografia poderão empreender grandes avanços na visualização e obtenção de registros dos detalhes mais sutis que dessa forma poderão serem obtidos fazendo-se o uso do instrumento como uma grande tele-objetiva, e nesse caso até um refrator de 50mm ou 60mm de abertura podem se prestar a registrar a calota polar e pelo menos a famosa região de Syrtis Major quando ela estiver sobre o meridiano central do planeta. Do jeito certo e na hora certa todos os instrumentos são úteis.
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Sex 17 Fev 2012, 21:52

Hoje dia 17/02/2012 o céu está perfeito numa noite típica de verão e marte já se encontra a uns 30º sobre o horizonte leste. Vou esperar ele subir até uns 45º e vou com tudo no meu refrator Jaegers 103mm F/15 (242x e 393x) e também com um refletor de 135mm F/9 (187x e 303x). Vamos ver no que resultará esse duelo. Twisted Evil
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Bruno em Sab 18 Fev 2012, 20:54

Concluindo a postagem anterior, tive problemas com o baixo contraste das configurações da superfície marciana nessa noite. O refletor de 135mm F/9 apresentou imagens interessantes porém apesar de não apresentarem aberração cromática, não davam uma perspectiva melhor dos contrastes que observei (com reservas em ambos) através do refrator 103mm F/15 embora eu tenha tido dificuldades em observar com precisão os contornos das regiões escuras e com tudo pequeno, tanto o diâmetro aparente de marte quanto as suas configurações na superfície. Pude perceber nítidamente nuvens claras próximas ao limbo oeste de marte, isso realmente foi nítido com 196x de aumento principalmente com o filtro #12-amarelo reforçando ainda mais. Paradoxalmente verifiquei que depois de as configurações mais evidentes no hemisfério norte marciano tais como Acidalia Planitia, Elysium Planitia a nordeste e no hemisfério sul as regiões de Capri Chasma, Margaritifer Terra, Arabia Terra e Sinus Sabaeus desaparecerem no limbo oeste, a difícil área de Arcadia Planitia foi observada sem dificuldades no hemisfério norte do planeta. O que deveria ter sido mais fácil observar (as configurações mais evidentes) eu tive dificuldades e a que era para ser a mais difícil da noite (Arcadia Planitia) ficou nítida. Não tenho dúvidas de que o baixo contraste das configurações na superfície de marte se deveram principalmente ao clima de lá pois ví nítidamente nuvens perto do limbo oeste.
Vou ter de continuar tentando pois as imagens ainda estão deixando muito a desejar e os resultados continuam inconclusivos.


Última edição por Bruno em Dom 25 Mar 2012, 13:48, editado 2 vez(es)
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Finalmente!

Mensagem  Bruno em Sab 25 Fev 2012, 16:38

24 e 25/02/2012
Observação de marte

Instrumento: Refrator acromático Jaegers 103mm (4.1/8") d/f 1575mm (F/15).
Oculares: 15mm (105x), 10mm (157x), 9mm (175x), 8mm (196x), 6.5mm (242x) e 4mm (393x).
Filtros: #21-laranja, #12-amarelo, #23-vermelho, #11-amarelo/verde e polarizador GSO.
Condições atmosféricas: excepcionais com UR 15% máxima 20º com ausência de nuvens e sem ventos (fonte:CPTEC/INPE).
hora: início 22:30hs (TU 01:30)-término 03:30hs (TU 06:30).
Localização: 19º42'03"S/43º57'18"W

Finalmente conseguí imagens decentes de marte. Não estava esperando grande coisa nessa oposição afélica para o dia 03/03/2012, e até já estava me programando para a oposição afélica de 2016 quando marte atingirá 18" de arco e para a oposição periélica de 2018 com marte alcançando 25.1" de arco de diâmetro, porém nas duas últimas noites fui surpreendido tanto pela atmosfera na minha região como pela atmosfera de marte pois ambas estavam com ótimas condições de transparência e visibilidade simultâneamente, principalmente nessa última madrugada. Não digo que foi um golpe de sorte pois insisto na prática da observação sistemática (a minha chega a ser maníaca) pois assim teremos mais chances de nos deparar-mos com raros momentos de uma dupla transparência atmosférica, e nesse caso com a atmosfera aqui e lá em marte.
Antes de prosseguir com o meu relatório da observação preciso voltar no tempo para entender o que considero como imagens decentes. O desempenho do meu refrator de 103mm de abertura e 1575mm de distância focal me deu uma idéia bem aproximada das observações de marte à partir de 1800 que culminaram no primeiro mapa do planeta vermelho. Anteriormente observadores como Huygens e Maraldi (este último era sobrinho de Cassini, o descobridor da divisão entre os anéis A e B de saturno) utilizaram refratores com pouco mais de 50mm de abertura e apresentaram ao mundo a famosa região de Syrtis Major, e também os incansáveis observadores Herschel e Schroeter com os seus enormes refletores cujos espelhos primários de 300mm de diâmetro feitos de metal fundido e polido e com mais de 2 m de distância focal se destacaram no estudo de marte nos fornecendo os primeiros esboços em que retratavam algumas das configurações mais evidentes da superfície marciana, além de mostrarem alguns pormenores que permitiram os primeiros estudos completos das calotas polares, da inclinação axial do planeta, das suas estações e até sobre o seu período de revolução com erro de pouco mais de dois minutos e alguns segundos, o que foi sem dúvida um grande feito para a época. Mas foi com o aparecimento do telescópio refrator acromático de Fraunhofer em fins de 1700 que importantes estudos foram realizados. Foi com um dos primeiros refratores Fraunhofer com 110mm de abertura e 1650mm de distância focal (F/15) que o observador Pierre Guinand fez diversas observações das configurações escuras durante a oposição favorável entre 1821 e 1822, porém o primeiro mapa do planeta foi elaborado em 1828 pelos observadores alemães Beer e Mädler utilizando um refrator acromático de Fraunhofer com 95mm de abertura e 1425mm de distância focal (F/15) e que foi devidamente instalado sob uma cúpula de 3,70m de diâmetro, acoplado num pier com um motor de relojoaria para acompanhamento visual. Não foram mapas conclusivos porém após o seu surgimento foi simultâneo com o aperfeiçoamento das objetivas acromáticas, e as configurações escuras na superfície marciana e as calotas polares foram melhores mapeadas e nomeadas.
Bem, me perdoem a volta que eu dei mas fiz esse breve relato voltando na história do estudo de marte para reafirmar que foram realizadas observações pioneiras e muito importantes com instrumentos do porte dos que utilizamos hoje em dia, e isso pode nos levar a ver que podemos aumentar as esperanças de realizar-mos observações produtivas desse planeta difícil e que mais depende de que as condições atmosféricas sejam favoráveis aqui e em marte do que de instrumental muito sofisticado.
-Voltando ao meu relato, como eu disse no começo nessas duas últimas noites e madrugadas o meu refrator de 4.1/8" F/15 fez um ótimo trabalho ao ser direcionado para marte, armado com 196x e 242x de aumentos (e em alguns bons momentos quando se encontrava no zênite extrapolei os limites do F/15 levando-o a absurdas e nunca recomendadas 393x de aumentos). Fiquei bastante surprêso e animado com o que ví pois mesmo que ainda com um diâmetro aparente aumentado considerávelmente já deve estar agora com 13.8" a 14" de arco de diâmetro e as suas configurações escuras na superfície se mostraram com uma coloração cinzento esverdeada e com as bordas menos difusas do que as registradas nas observações anteriores. A primeira coisa que me chamou a atenção foi de que o disco se apresentava com um formato praticamente circular sem um efeito de fase. O contraste dele com o fundo do céu se mostrava negro e sem nenhum reflexo. As áreas claras na superfície marciana continuaram a mostrarem uma coloração muito semelhante à do minério de ferro visto à distância aqui na terra. A calota polar norte Planum Boreum reduziu bastante o seu tamanho aparente, com certeza devido ao verão marciano que agora predomina naquele hemisfério. Um considerável número de configurações estavam visíveis nos dois hemisférios de marte, tendo ao norte a calota Planum Boreum que inicialmente não apresentava o tradicional "colar" escuro que a acompanha e à delimita ao sul, e tendo a sudoeste da calota a região de Utopia Planitia enquanto a outra região de Acidalia Planitia entra pelo lado oposto no limbo leste. Já no hemisfério sul e a oeste do meridiano central pude divisar perfeitamente a área de Syrtis Major que se aproximava do limbo oeste e próxima à linha do equador na sua extremidade norte. Quase virando no limbo oestetambém pude ver uma pequena porção da região de Elysium Planitia desaparecendo em direção ao lado oculto do planeta. A leste de Syrtis Major um apêndice escuro se estendia de oeste a leste e revelava nítidamente a região do golfo Sinus Sabaeus no Mare Sirenum com a extremidade leste apresentando uma forma arredondada e escura, bem parecida com as fotos que se vêem do planeta. Separada da região de Margaritifer Terra a leste e tendo entre elas uma nítida porção de área clara que era a superfície alaranjada e desértica marciana. Por volta das 00:00h (TU 03:00) Syrtis Major já entrava pelo limbo oeste e agora ao invés de exibir a sua configuração tradicional em forma de "V", se parecia mais com um "Y" pois a porção sul dessa região apresentava uma curva para dentro em direção ao norte, fazendo com que se parecesse mais como um "coração" alongado à medida em que se aproximava do limbo. A região do Mare Sirenum em Sinus Sabaeus já estava dentro do disco do planeta entre o limbo leste e o meridiano central, e claramente apresentava a sua configuração característica, parecendo mesmo um apêndice horizontal terminando arredondado na extremidade leste, fácilmente reconhecível quando comparado com qualquer mapa simples do planeta marte. No extremo sul as regiões de Nereidum Montes e Noachis Terra próximas às latitudes mais altas de Hellas Planitia apresentavam-se bastante claras, a ponto de seguramente a um observador desavisado confundir essa área com a calota polar sul, o que não é possível pois nas oposições afélicas como a de agora ela não fica visível por causa da grande inclinação axial de marte, ficando assim por detrás dele. Por volta das 02:00hs (TU 05:00) a região de Syrtis Major já havia desaparecido pelo limbo oeste, e Sinius Sabaeus no hemisfério sul seguia o mesmo rumo em direção ao quadrante sudoeste. À leste de Margaritifer Terra, as regiões de Xante Terra e Capri Chasma estavam evidentes e escuras, e bem contrastadas em relação às áreas claras do planeta que se encontravam nas suas proximidades. Ao norte e à leste de Acidalia Planitia e Cydonia pude perceber como que uma pequena mancha arredondada reconhecida como a área de Nilokeras Scopulus. À oeste podia-se ver o Boreum Mare. Foram precisas mais de uma hora de observação contínua para que o meu olho fixasse bem os contornos das configurações escuras às vezes bem nítidos como pinceladas, outras vezes difusos nas bordas das regiões citadas acima, e embora tenha havido uma diminuição de reolução e contraste entre as áreas claras e escuras quando utilizei 393x de aumentos, ainda assim eram evidentemente reconhecíveis as configurações que eu observava. O filtro #21-laranja se saiu bem com aumentos um pouco inferiores com 175x mas o planeta ainda apresentava-se pequeno, o que me obrigou a subir a potência para 196x. Não tenho dúvidas que mesmo numa oposição afélica, ao observár-mos marte com um instrumento que permita pelo menos 200x de aumentos não ficaremos decepcionado porém será necessário algum tempo até que o olho se familiarize com as diferenças entre as colorações claras e escuras. Já o filtro amarelo foi o que melhor mostrou as configurações escuras sem afetar a visualização da calota polar, pois o filtro #21-laranja diminuiu o seu brilho (o astrônomo Schiaparelli tinha razão, o filtro amarelo é excelente para marte, talvez melhor até do que o laranja).
Preciso deixar registrado também que não tenho dúvidas quanto à observação de nuvens próximas ao limbo leste, talvez nuvens amareladas pois com o filtro amarelo se revelaram brancas e pelo menos de uma grande nuvem (orográfica?) próxima ao limbo leste e em cima da linha do equador que durante alguns momentos brilhava com uma intensidade ou albedo bem parecido com a da calota polar norte.
Hoje o céu pelo 3º dia consecutivo continou excepcional e parece que terei outra excelente noite.

*Gostaria de relatar também uma observação que apesar de off topic, merece ser registrada: foi a observação de saturno. Com 242x de aumentos a imagem de saturno estava soberba, com uma coloração "amarelo-marfim" e a divisão de cassini não se limitando às alças do anel pois podia-se acompanhá-la circundando internamente a região interior e frontal do sistema de anéis, e se aproximando ou melhor, praticamente tocando a extremidade interior do anel A. Fiquei quase uma hora observando a fenda provocada pela divisão de Cassini. Pude perceber também que o anel interior B apresentava uma coloração mais clara do que o anel A, e o anel interior C apreentava uma coloração castanha e estava bem discernido diante do globo do planeta. A sombra do planeta projetada nos anéis estava nítida, além de uma grossa faixa equatorial com um pequeno (como diria Jean Nicolini) "festão" indefinido a oeste do meridiano central e que partia da borda sul dessa faixa equatorial descendo serpenteando em direção ao sul e com a mesma coloração da faixa, ou seja, algo semelhante ao castanho-escuro se contrastando contra o fundo de uma coloração "amarelo-marfim" no globo de saturno.
Pude contar ao redor dele oito pontos luminosos, sendo três muito próximos e bastante diminutos se comparados com a lua Titã. Desses oito pontos luminosos creio que pelo menos seis eram luas pois modificaram a sua posição de uma noite para a outra.
Bem, então foi isso, marte estava muito interessante e desafiador, e saturno se apresentou magnífico.
Tanto hoje (25/02) antes da meia noite e (26/02) após a meia noite, uma noite muito favorável novamente se anuncia. Espero que os colegas tenham a mesma sorte que estou tendo.


Última edição por Bruno em Sab 14 Abr 2012, 01:13, editado 3 vez(es)
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 56

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: Observações de marte.

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum