NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Sex 11 Dez 2015, 20:30

Dos site http://www.impact-structures.com/understanding-the-impact-cratering-process-a-simple-approach/

"How looks an impact crater that was produced by an oblique impact? Statistically, impact trajectories most abundantly form an oblique 45° angle with the target surface.
Nevertheless, the resulting impact crater is more or less circular unless the angle of incidence is very low, less than 10°.
Then, elongated craters may be formed, and the ejecta blanket may considerably deviate from a circular symmetry."

Traduzindo:
"Como se parece uma cratera de impacto que foi produzida por um impacto oblíquo? Estatisticamente, as trajetórias de impacto mais abundantes formam um ângulo oblíquo de 45° com a superfície do alvo.  Não obstante, a cratera de impacto resultante é mais ou menos circular, a menos que o ângulo de incidência seja muito baixo, inferior a 10°.  Então, crateras alongadas podem ser formadas, e o cobertor de material ejetado pode se desviar consideravelmente de uma simetria circular."

Agora, como um corpo esférico sujeito a um 'pesado bombardeio tardio' não demonstra evidências de diversas crateras em ângulos oblíquos ou inferiores a 10º?
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Qui 21 Jan 2016, 23:55

Voltando a traduzir após as festividades de final de ano.

Mais um vídeo transcrito para o português.

Publicado em 19 de dez de 2015


Wal Thornhill faz uma interessante revisão do legado de Einstein, neste sentido vale a pergunta; Será q a visão do universo da 'ciência' atual é verdadeiramente divorciada da religião e é assim tão distante dos criacionistas? Muito do q é afirmado hoje como sendo a construção do universo tem forte e óbvia influência religiosa, confirmada pelo próprio Einstein!

A velocidade da luz não é o limite para transmissão da informação, é apenas o limite da observação visual do ser humano e isso não tem nada a ver com o limite de velocidade do universo ou da matéria. Após 100 anos de escuridão é preciso nos libertar destes falsos paradigmas para q a ciência volte a evoluir.
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Sex 22 Jan 2016, 16:30

Bobinas da serpente
Publicado em 22 janeiro de 2016 por Stephen Smith
Texto original em: https://www.thunderbolts.info/wp/2016/01/22/the-serpents-coils/


Uma porção da Nuvem Serpente molecular. Crédito: ESA / Herschel / PACS / SPIRE / V.Roccatagliata (U. Munique, Alemanha)

Pontos de vista astronômicos sugerem alternativas.

NASA e a Agência Espacial Europeia (ESA) lançaram o Observatório Espacial Herschel em 14 de maio de 2009. O sistema de hélio líquido para arrefecimento do Herschel foi construído para durar apenas três anos, no entanto, somente em 29 de abril de 2013 sua missão chegou ao fim.

De acordo com um recente comunicado liberado para a imprensa, astrônomos que trabalham com dados fornecidos pelo Herschel encontraram evidências de "linhas de transmissão" cósmicas no espaço, apesar de não ser assim que os astrônomos identificaram suas observações. Eles descobriram "... uma rede radial de filamentos que se estendem por todo o Núcleo Serpente, filamentos que estão previstos para quebrar e fragmentar para formar os núcleos de novas estrelas."

Filamentos de carga elétrica podem fluir em circuitos fechados através do plasma. Como o Universo existe principalmente em um estado de plasma, a teoria do Universo Elétrico explica a maioria das observações melhor do que a abordagem tradicional. Evidência observacional juntamente com experimentos de laboratório distinguem conceitos do Universo Elétrico dos outros. Teorias com base em gravidade são impossíveis de modelar em laboratório.

Conforme o anúncio da ESA declara, a Nuvem Molecular Serpente é composta de "... filamentos misturados com dobras grumosas e irregulares, lençóis e estruturas como bolhas."

Filamentos de plasma trançados e raios radiais confirmam a existência de circuitos elétricos no espaço. Um dos principais princípios da teoria do Universo Elétrico é que os corpos celestes não são isolados uns dos outros, mas são conectados através de grandes distâncias. Descargas elétricas no plasma criam bainhas magnéticas ao longo dos seus eixos, fazendo com que as bainhas brilhem, enquanto cria outras bainhas dentro. Essas brilhantes bainhas de dupla camada são as dobras, chapas e estruturas como bolha identificadas nos dados do Herschel.

Camadas duplas formam-se quando cargas positivas se acumulam em uma região e cargas negativas se desenvolvem nas proximidades. Campos elétricos se desenvolvem entre as regiões que, em seguida, aceleram partículas carregadas. Sempre que partículas carregadas estão em movimento, a eletricidade é criada, o que forma campos magnéticos. Cargas elétricas espiralam nos campos magnéticos, emitindo raios-X, ultravioleta extrema, e às vezes raios gama.

Eletromagnetismo "comprime" os canais, também conhecidos como correntes de Birkeland, para os filamentos observados que tendem a atrair um ao outro em pares. Os campos elétricos ao longo das cadeias de plasma geram forças elétricas. No entanto, quando as correntes de Birkeland aproximam-se umas das outras, em vez de fusão, elas torcem em uma espiral que gira mais rápido, uma vez que comprime mais apertado.

O Universo é um rendilhado desses circuitos interagindo, cada um deles composto por um número incontável de correntes de Birkeland torcidas. Cargas que consomem energias galácticas nesses circuitos convertem a energia elétrica em energia rotacional. Galáxias alinham-se pelo cosmos como cidades em uma grade e devem sempre ser avaliadas de acordo com os princípios eletrodinâmicos ao invés de comportamento mecânico.

Presunções são difíceis de ignorar. Pesquisadores convencionais não entendem de eletricidade, ou mesmo reconhecem sua contribuição para a evolução cósmica, e isso obstrui a sua capacidade de análise.

Stephen Smith
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Sex 22 Jan 2016, 18:19

Texto do site da ESA referido no artigo anterior

HERSCHEL REVELA FILAMENTOS NO NÚCLEO DE SERPENTE
Publicado em: 18/01/2016 12:40
Texto original em: http://m.esa.int/spaceinimages/Images/2016/01/Herschel_reveals_filaments_in_the_Serpens_Core

Direitos autorais: ESA / Herschel / PACS / SPIRE / V. Roccatagliata (U. Munique, Alemanha)

Descrição

O meio interestelar preenche o espaço 'vazio' entre as estrelas em nossa galáxia. É uma mistura de nuvens moleculares, gases quentes e frios, regiões de hidrogênio carregado eletricamente e muito mais.

Nuvens moleculares são a parte mais densa do meio interestelar, contendo a maior parte de sua massa na forma de gás hidrogênio. [gás hidrogênio carregado = plasma! Quanta volta p/ não mencionar esta palavra, não acha?] O observatório espacial da ESA, Herschel, revelou que muitas se acumulam em torno destes filamentos, com densos segmentos serpenteando ao longo de cada nuvem. filamentos, com linhas densas que serpenteiam ao longo de cada nuvem.  Estes filamentos potencialmente transportam material, e, quando tem massa suficiente, são conhecidos por formar novas estrelas. [Exatamente o q os proponentes do Universo Elétrico vem afirmando, q é nestes filamentos q se formam as estrelas e não em meros aglomerados de nuvens.]

Esta imagem do Herschel mostra o Núcleo de Serpente, o coração de uma nuvem molecular gigante. O Núcleo é o tufo brilhante em direção ao canto superior direito, com um aglomerado secundário mais difuso, chamado Ser G3-G6, mostrado no canto inferior direito. Também visível como um brilho amarelo fraco em direção ao canto superior esquerdo do quadro está uma região conhecida como LDN 583 que brilha no infravermelho distante.

Nuvens moleculares gigantes contém até 10 milhões de vezes a massa do Sol, e podem se estender por centenas de anos-luz. Em comparação com o resto do espaço eles são densos, com capacidade para até mil átomos por centímetro cúbico - e ainda mais em regiões de formação estelar. No entanto, estas propriedades são relativas: até na sua maior densidade, estas nuvens são mais de 10 vezes mais vazias do que os melhores vácuos laboratoriais que possam ser produzidos na Terra. [Penso q é muito difícil ter esta precisão toda s/ uma nuvem estelar a 1.400 anos-luz de distância, seja como for é igualmente pouco crível q a força gravitacional seja dominante numa concentração de matéria como esta frente a força do eletromagnetismo.]

Estas nuvens gigantes são formações complexas, na maioria das vezes feitas de filamentos misturados com tufo e dobras irregulares, lençóis e estruturas como bolha. Uma galáxia espiral típica como a Via Láctea pode conter milhares deles, acompanhados por muitos de seus parentes menores.

Serpente é um alvo ideal para os cientistas que querem saber mais sobre nuvens moleculares gigantes, já que se encontra a apenas 1.400 anos-luz de nós. Os cientistas compararam observações do Herschel desta nuvem para uma simulação no estado da arte para saber mais sobre as propriedades da nuvem, e para testar a precisão de seu modelo. [Um modelo q provavelmente irá ignorar o eletromagnetismo...]

Eles descobriram descobriram uma rede radial de filamentos que se estendem por todo o núcleo de Serpente, os filamentos que são previstos para quebrar e fragmentar para formar os núcleos de novas estrelas. Estes filamentos assemelham-se aos raios de uma roda, com o núcleo que forma o cubo.

Esta imagem de três cores é feita a partir de observações com a câmera do Herschel PACS (azul e verde) e câmera SPIRE (vermelho). O tamanho da região é mostrado 1.7x1.9º no céu, onde 1º corresponde a cerca de 25 anos-luz.
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  Bruno em Sex 22 Jan 2016, 22:28

domingos.cjm escreveu:Pesquisadores convencionais não entendem de eletricidade, ou mesmo reconhecem sua contribuição para a evolução cósmica, e isso obstrui a sua capacidade de análise.
Olá domingos.cjm, eu tenho acompanhado todos os seus posts e não estou aqui para confrontar o modelo convencional com a teoria do universo elétrico, mas por exemplo, através da eletrodinâmica tentar substituir a compressão do turbilhão de poeira num disco de acreção gera pontos conflitantes. Isso não é ruim por que a Ciência está cheia de exemplos assim, pois uma teoria sempre pode preceder outra, mas um universo eletromagneticamente ativo ainda não justifica as crateras como sendo cicatrizes elétricas em planetas e luas, pois os efeitos de bombardeios meteoríticos foram comprovados nas amostras de vidro verde colhidas na superfície lunar durante as missões Apollo, e que indicaram um ponto de fusão sem sombra de dúvida gerado por impacto, e isso sem esquecer dos processos nitidamente fluviais e eólicos constatados em algumas das formações geológicas em marte.

Bruno
Moderador
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 55

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Sab 23 Jan 2016, 03:22

Bruno escreveu:
domingos.cjm escreveu:Pesquisadores convencionais não entendem de eletricidade, ou mesmo reconhecem sua contribuição para a evolução cósmica, e isso obstrui a sua capacidade de análise.
Olá domingos.cjm, eu tenho acompanhado todos os seus posts e não estou aqui para confrontar o modelo convencional com a teoria do universo elétrico, mas por exemplo, através da eletrodinâmica tentar substituir a compressão do turbilhão de poeira num disco de acreção gera pontos conflitantes. Isso não é ruim por que a Ciência está cheia de exemplos assim, pois uma teoria sempre pode preceder outra, mas um universo eletromagneticamente ativo ainda não justifica as crateras como sendo cicatrizes elétricas em planetas e luas, pois os efeitos de bombardeios meteoríticos foram comprovados nas amostras de vidro verde colhidas na superfície lunar durante as missões Apollo, e que indicaram um ponto de fusão sem sombra de dúvida gerado por impacto, e isso sem esquecer dos processos nitidamente fluviais e eólicos constatados em algumas das formações geológicas em marte.
Bruno
Moderador
Oi Bruno, legal q vc queira trocar ideias. É sempre bom enfatizar q a gravidade não é substituída pelo eletromagnetismo, mas é suplantada por ele por conta de sua força superior. Questões mecânicas não deixam de existir na teoria do UE ao contrário do q ocorre com a teoria padrão q simplesmente renega o eletromagnetismo. Mas é bom enfatizar q se formos nos basear pelo comunicado da ESA a força de compressão do disco de poeira não parece muito grande uma vez q os átomos estão muito distantes. O q realmente poderia atrair matéria tão dispersa nestas nuvens observadas para um ponto focal seria o eletromagnetismo de correntes elétricas q necessariamente tem de existir a medida q os átomos se chocam e concentram.

Baixa incidência de crateras em ângulos inferiores a 10º nos diversos corpos celestes é uma forte indicação de q impactos não são o meio preponderante de formação das grandes crateras q em muitos casos poderiam pulverizar estes mesmos corpos celestes. As crateras em cometas não tem o impacto com outros corpos como sua origem e isso já foi exposto por cientista da NASA em uma parte dos vídeos q traduzi. A própria ESA está procurando outra justificativa p/ as crateras no 67P.

Quanto ao ponto de fusão é bom ressaltar q descargas elétricas podem atingir temperaturas muito maiores q a de impactos mecânicos, um raio na terra atinge temperaturas próximas a do Sol, vidros são comumente formados nas areias de praias por conta de raios.

    Fulgurito (do latim fulgur, "raio") é uma modificação de areias quartzosas, ou rochas quando submetidas a descargas elétricas de origem atmosférica. São corpos vitrificados, devido à fusão da sílica, de forma oblonga, cilíndrica ou tubular e geralmente ocos.


Diria q processos fluviais (provenientes de H2O) em Marte são uma forçação de barra dos q querem financiar os programas espaciais. Processos elétricos fazem mais sentido e podem justificar as características dos mais distintos plantas, inclusive na Terra. Seja como for, pq negar a possibilidade de fenômenos eletromagnéticos em todo o universo?

Uma informação interessante:
Por conta das minhas traduções dos vídeos p/ o português os diretores do Thundebolts Project me convidaram para ir na conferência deste ano em Phoenix com tudo pago. Estou ainda mais entusiasmado.  Cool)
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  Bruno em Sab 23 Jan 2016, 12:18

domingos.cjm escreveu:
força de compressão do disco de poeira não parece muito grande
O q realmente poderia atrair matéria tão dispersa nestas nuvens observadas para um ponto focal seria o eletromagnetismo

a gravidade não é substituída pelo eletromagnetismo, mas é suplantada por ele por conta de sua força superior. Questões mecânicas não deixam de existir na teoria do UE ao contrário do q ocorre com a teoria padrão q simplesmente renega o eletromagnetismo.
Como estamos num tópico de especulações, particularmente creio que isso só acontece por que o padrão convencional considera a gravidade como uma força, pois se ela fosse encarada como uma grandeza haveria espaço para o eletromagnetismo.
Considere o exemplo do disco de acreção, nele a redistribuição do momento angular como uma grandeza física está associada à rotação de um corpo, fazendo com que os materiais dele acabem espiralando-se ou seja, a quantidade de momento angular atua como o efeito gerador de movimento. A força centrípeta necessária ao movimento curvilíneo nesse momento não tem efeito, o que pode nesse caso conferir peso a um corpo. Nessas condições a gravidade pode se comportar não como uma força, nem mesmo no movimento de arrasto no espaço provocado pela presença de massa, mas como uma propriedade da força centrípeta que determina a natureza da massa.
Mas e os grávitons hipoteticamente previstos como partículas elementares? Tudo bem, deixem eles continuando a serem os responsáveis pela transmissão da força só que centrípeta, através do peso conferido durante a redistribuição do momento angular.

Bruno
Moderador
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 55

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Sab 23 Jan 2016, 15:59

Bruno escreveu:
Como estamos num tópico de especulações, particularmente creio que isso só acontece por que o padrão convencional considera a gravidade como uma força, pois se ela fosse encarada como uma grandeza haveria espaço para o eletromagnetismo.
Considere o exemplo do disco de acreção, nele a redistribuição do momento angular como uma grandeza física está associada à rotação de um corpo, fazendo com que os materiais dele acabem espiralando-se ou seja, a quantidade de momento angular atua como o efeito gerador de movimento. A força centrípeta necessária ao movimento curvilíneo nesse momento não tem efeito, o que pode nesse caso conferir peso a um corpo. Nessas condições a gravidade pode se comportar não como uma força, nem mesmo no movimento de arrasto no espaço provocado pela presença de massa, mas como uma propriedade da força centrípeta que determina a natureza da massa.
Mas e os grávitons hipoteticamente previstos como partículas elementares? Tudo bem, deixem eles continuando a serem os responsáveis pela transmissão da força só que centrípeta, através do peso conferido durante a redistribuição do momento angular.

Bruno
Moderador
A própria ideia de q é o momento angular q está associado à rotação é questionável, em havendo o tal disco de acreção com matéria girando uma das primeiras manifestações desta mesma matéria seria o eletromagnetismo pela colisão de partículas e o eletromagnetismo é reconhecidamente responsável por fazer bobinas girarem. Ou seja, mesmo dentro do modelo de acreção a força eletromagnética teria sido dominante frente a gravidade.
Mas o modelo de acreção tem diversos problemas, dentre eles o diferente ângulo de rotação dos planetas no sistema solar e a não observação de exoplanetas q se encaixem neste mesmo modelo, com planetas gigantes girando próximos demais de suas estrelas.
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  Bruno em Sab 23 Jan 2016, 20:47

domingos.cjm escreveu:matéria girando uma das primeiras manifestações desta mesma matéria seria o eletromagnetismo pela colisão de partículas
Do ponto de vista inercial a rotação do disco carregado é vista como uma densidade superficial de corrente, produzindo um campo magnético estático, mas as anomalias que ocorrem num corpo como no nosso planeta por exemplo, mostram que a intensidade do seu campo geomagnético decai exponencialmente à partir das linhas de força provenientes do núcleo da terra.

Bruno
Moderador
avatar
Bruno
Membro Expert
Membro Expert

Mensagens : 6521
Data de inscrição : 29/10/2011
Idade : 55

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Sex 29 Jan 2016, 00:44

Ótimo artigo em português sobre o potencial elétrico da atmosfera terrestre e que está relacionado com alguns vídeos s/ clima q estou traduzindo. Este artigo é da IEEE e é totalmente independente do projeto Thunderbolts.

Ele discorre sobre o clima na terra e a influência do potencial elétrico da atmosfera s/ o mesmo. Tb comenta s/ o diferente potencial elétrico nos polos devido a sua interação com o 'vento solar'.

Artigo s/ eletrodinâmica planetária (pt), clique aqui.
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Sex 29 Jan 2016, 01:00

Bruno escreveu:
Do ponto de vista inercial a rotação do disco carregado é vista como uma densidade superficial de corrente, produzindo um campo magnético estático, mas as anomalias que ocorrem num corpo como no nosso planeta por exemplo, mostram que a intensidade do seu campo geomagnético decai exponencialmente à partir das linhas de força provenientes do núcleo da terra.
Bruno
Moderador
Será q o campo magnético da terra provém de seu núcleo?
Veja o caso do Sol, muitos afirmam q é uma 'usina nuclear' e composta basicamente por gases, o ponto de vista do UE é diferente e afirma q este núcleo pode ser sólido e q a força gravitacional medida para derivar sua massa está errada por utilizar a 'constante' gravitacional da Terra no universo todo. A grande questão é, até q ponto nós compreendemos a gravidade p/ podermos fazer tais presunções? Muitos a descrevem, mas poucos a explicam.

O fato é q existem muitas teorias e eu não apostaria todas as fichas nesta afirmação.
Estou finalizando uma tradução do vídeo do Wall Thornhill s/ gravidade (já disponível em inglês) q discorre s/ fenômenos interessantes a medida q mineiros escavam minas mais profundas. Seja como for, ainda há muita coisa p/ aprender e rever s/ física e q nos é normalmente apresentado pela mídia como fenômenos fartamente explicados.
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Sex 29 Jan 2016, 07:44

Mais um vídeo transcrito para o português.

Publicado em 23 de jan de 2016


Este vídeo se refere a mensagem anterior em q eu aponto um artigo s/ a influência do eletromagnetismo na atmosfera terrestre e por correlação em outros planetas e estrelas.

O vídeo comenta s/ experiências com a câmara de vácuo SAFIRE e correlações q se tem obtido com ela e fenômenos observados na natureza, algo q uma simples simulação computacional não pode fazer (e daí uma das grandes falhas da teoria padrão, basear toda a compreensão s/ o universo em fórmulas matemáticas).

Quem já viajou de avião notou q as nuvens se formam em camadas, a explicação p/ isso está no eletromagnetismo e não em fenômenos unicamente mecânicos. Ainda há muito o q aprender s/ o clima na terra e não é o ser humano, tido atualmente como o grande manipulador dos destinos do planeta, q alterará isso radicalmente.
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Sex 29 Jan 2016, 08:37

Mais um vídeo transcrito para o português.

Publicado em 29 de dez de 2015


Este vídeo é s/ uma crítica ao conceito de Reconexão Magnética. No final das contas é como falar em reconexão da linha do equador, uma linha imaginária criada pelo homem não pode se reconectar pq simplesmente não tem sentido físico.
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Sex 29 Jan 2016, 09:08

Mais um vídeo transcrito para o português.

Publicado em 21 de jan de 2016


A câmera HIRISE a bordo sonda Mars Reconnaissance orbiter da NASA capturou uma imagem intrigante de padrões poligonais dentro de uma cratera no polo norte marciano. Uma reportagem do Space.com comenta s/ esses traços: "a cratera inteira é cerca de 3 milhas (5 km) de diâmetro e seu antigo interior sofreu incontáveis milênios de ciclos de congelamento/descongelamento que quebraram a superfície em formas poligonais. Este processo é comum em Marte e ainda pode ser encontrado na terra, mas esta imagem retrata isso excepcionalmente bem." No entanto, como observado neste Espaço Notícia, experimentos com descargas elétricas em laboratório produziram intrigantes análogos destas formas poligonais.
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Sex 29 Jan 2016, 11:34

Muitas vezes geólogos explicam formações bizarras como sendo resultado de milhares de anos de algum tipo de desgaste natural, predominantemente mecânico, agora veja só a semelhança entre as duas imagens abaixo sendo q a primeira é ciclicamente formada todos os anos nas montanhas geladas das Américas.

Os penitentes ou neve penitente são uma formação curiosa de neve em alta altitude e que se assemelha aos penitentes (na Espanha, procissões da Semana Santa, irmãos penitenciais vestindo capuzes, acompanhar a procissão penitencial da irmandade a que pertencem). Eles tomam a forma de lâminas finas e altas de neve ou gelo endurecidas e são muito próximas. As lâminas ficam na direção geral do sol. Penitentes podem ser tão elevadas como uma pessoa.



Parque Nacional do Tsingy de Bemaraha - Madagascar, floresta de pedra.



Até q ponto estas duas formações não estão ligadas por algum fenômeno eletromagnético? Esta é uma pergunta q ainda está por ser respondida uma vez que poucos são os pesquisadores q levam em consideração o eletromagnetismo. Micro-pontas em forma semelhante aparecem em materiais como células de energia movidos a energia solar.



Quando uma superfície lisa de silício puro é submetida a corrosão por plasma sob certas condições especiais, podem formam espontaneamente uma densa floresta de espinhos e furos microscópicos, geralmente algumas centenas de nanômetros de diâmetro e um punhado de altos microns. Como um resultado desta rugosidade extrema, a luz que é incidente sobre a superfície torna-se presa, e, eventualmente, é absorvida pelo material, fazendo parecer preto a olho nu. Além das muitas questões de física interessantes isto levanta materiais (Como isso acontece? O que determina a escala de comprimento?) Este material tem várias aplicações potenciais, incluindo a possibilidade de células solares mais eficientes.
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Seg 01 Fev 2016, 04:43

Outra formação geológica interessante em Madagascar semelhante a mensagem anterior só q com um outro tipo de solo.
O Tsingy Rouge (Tsingy vermelho) é uma formação em solo avermelhado laterítico no Rio Irodo na região de Diana, norte de Madagascar.

avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Qua 03 Fev 2016, 22:53

Mais um vídeo transcrito para o português.

Publicado em 26 de jan de 2016


A teoria do Universo Elétrico procura entender o universo não só vendo o grande quadro, mas tb olhando na pequena lâmina de microscópio e dessa forma traça paralelos. Um destes paralelos é o transporte de informações através de microtúbulos q cientistas utilizando a teoria quântica descobriram recentemente. O transporte de informação/energia por estes microtúbulos parece ter um paralelo óbvio na corrente de Birkeland onde o plasma forma uma estrutura tubular por onde transporta energia.
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Qui 04 Fev 2016, 09:42

Mais um vídeo transcrito para o português.

Publicado em 13 de jan de 2016


Neste vídeo o famoso meteorologista inglês, Piers Corbyn, comenta s/ a falácia do aquecimento global e explica q o q realmente governa o clima na Terra é sua interação eletromagnética com o Sol.

Para quem nunca ouviu falar de Piers Corbyn abaixo tem um vídeo com uma entrevista dele p/ uma rede de televisão (em inglês), onde ele é destacado por acertar frequentemente suas previsões s/ o clima.

Publicado em 23 de mai de 2015


Em termos de aquecimento global o vídeo q melhor explica a motivação política p/ tamanho alarmismo é o vídeo abaixo "A Grande Farsa do Aquecimento Global" ("The Great Global Warming Swindle") legendado em português, onde novamente Piers Corbyn aparece.

Enviado em 17 de ago de 2011


E para não ficar apenas com referências estrangeiras pode-se citar o nosso grande meteorologista Luiz Carlos Molion q tem vários vídeos no YouTube denunciando a farsa do aquecimento global e q vc pode ver um deles no vídeo abaixo.

Publicado em 6 de mai de 2012
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Dom 14 Fev 2016, 12:26

Vídeo interessante p/ ver uma experiência q simula uma erosão por descarga elétrica.

avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Dom 14 Fev 2016, 21:36

Imagens de ferro-fluido semelhantes as imagens q postei anteriormente.



avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Dom 14 Fev 2016, 23:25

Textos e referências cronologicamente agrupadas s/ a evolução da teoria do Universo Elétrico:


    - 1704, "Experiments on the Production and Propagation of Light from the Phosphorous in Vacuo, Hauksbee- 1881, "Radiant Matter, A Resume of the Principle Lectures and Papers", William Crookes- 1891, "Experiments with Alternate Currents of Very High Frequency and Their Application to Methods of Artificial Illumination", Nikola Tesla- 1893, "The Inventions, Researches, and Writings of Nikola Tesla", Nikola Tesla- 1893, "On Light and Other High Frequency Phenomena", Nikola Tesla- 1898, "Electricity, the Universal Force", Henry R Rogers (not peer-reviewed, independently published)- 1903, "The Norwegian Expedition Vol. 1", Kristian Birkeland- 1904, "Electricity and Matter", JJ Thomson- 1906, "Conduction of Electricity through Gases", JJ Thomson- 1911, "Origin of Magnetic Storms", Arthur Schuster (British i.e. mainstream astrophysicist who mathematically, and incorrectly, proved that Birkeland's auroral theory was impossible)- 1912, "Rays of Positive Electricity", JJ Thomson- 1941, "On the Cosmogony of the Solar System Pt. 1-3", Hannes Alfven- 1950, "Cosmical Electrodynamics", Hannes Alfven- 1958, "Interplanetary Magnetic Fields", Hannes Alfven- 1961, "On the Origin of Cosmic Magnetic Fields", Hannes Alfven- 1961, "Origin of Cosmic Rays", Ginzburg and Syrovatsky- 1963, "On the Filamentary Structure of the Solar Corona", Hannes Alfven- 1967, "Currents in the Solar Atmosphere and a Theory of Solar Flares", Hannes Alfven- 1967, "On the Importance of Electric Fields in the Magnetosphere and Interstellar Space", Hannes Alfven- 1970, "Jet Streams in Space", Hannes Alfven- 1976, "Evolution of the Solar System", Alfven and Arrhenius- 1977, "Electric Currents in Cosmic Plasmas", Hannes Alfven- 1978, "Interstellar Clouds and the Formation of Stars", Hannes Alfven- 1979, "Electric Current Model of the Magnetosphere," Hannes Alfven- 1982, "Paradigm Transition in Cosmic Plasma Physics", Hannes Alfven- 1985, "Laboratory Experiment on Magnetic Reconnection and Turbulence, Stenzel, Gekelman and Urrutia- 1986, "Double Layers and Circuits in Astrophysics", Hannes Alfven- 1991, "Physics of the Plasma Universe", Anthony Peratt- 1992, "Alfven's Programme in Solar Physics", Stephen G. Brush- 1993, "Filamentary Double Layers", Theisen, Carpenter and Merlino- 1995, "Alfven Waves and Birkeland Currents", Thomas A Potemra- 2001, "On the Global Electric Charge of Stars", Neslusan- 2005, "Magnetospheric Plasma Boundaries: A Test of the Frozen-In Magnetic Field Theorem", Lundin, Yamauchi, Sauvaud and Balogh- 2007, "Real Properties of Electromagnetic Fields and Plasma in the Cosmos", Donald Scott- 2011, "Measurement of Electric Current in a Kpc-Scale Jet, Kronberg, Lovelace, Lapenta and Colgate- 2014, "JMP and SAFIRE: What Makes the Sun Shine?", Anderson, Childs, Clarage and Onderco- 2015, "Birkeland Currents: A Force-Free Field-Aligned Model", Donald Scott- 2015, "Study of Striations in a Spherically Symmetrical Hydrogen Discharge", Morgan and Childs
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Dom 14 Fev 2016, 23:26

Textos e referências cronologicamente agrupadas s/ a evolução da teoria do Universo Elétrico:
(Novamente)

    - 1704, "Experiments on the Production and Propagation of Light from the Phosphorous in Vacuo, Hauksbee
    - 1881, "Radiant Matter, A Resume of the Principle Lectures and Papers", William Crookes
    - 1891, "Experiments with Alternate Currents of Very High Frequency and Their Application to Methods of Artificial Illumination", Nikola Tesla
    - 1893, "The Inventions, Researches, and Writings of Nikola Tesla", Nikola Tesla
    - 1893, "On Light and Other High Frequency Phenomena", Nikola Tesla
    - 1898, "Electricity, the Universal Force", Henry R Rogers (not peer-reviewed, independently published)
    - 1903, "The Norwegian Expedition Vol. 1", Kristian Birkeland
    - 1904, "Electricity and Matter", JJ Thomson
    - 1906, "Conduction of Electricity through Gases", JJ Thomson
    - 1911, "Origin of Magnetic Storms", Arthur Schuster (British i.e. mainstream astrophysicist who mathematically, and incorrectly, proved that Birkeland's auroral theory was impossible)
    - 1912, "Rays of Positive Electricity", JJ Thomson
    - 1941, "On the Cosmogony of the Solar System Pt. 1-3", Hannes Alfven
    - 1950, "Cosmical Electrodynamics", Hannes Alfven
    - 1958, "Interplanetary Magnetic Fields", Hannes Alfven
    - 1961, "On the Origin of Cosmic Magnetic Fields", Hannes Alfven
    - 1961, "Origin of Cosmic Rays", Ginzburg and Syrovatsky
    - 1963, "On the Filamentary Structure of the Solar Corona", Hannes Alfven
    - 1967, "Currents in the Solar Atmosphere and a Theory of Solar Flares", Hannes Alfven
    - 1967, "On the Importance of Electric Fields in the Magnetosphere and Interstellar Space", Hannes Alfven
    - 1970, "Jet Streams in Space", Hannes Alfven
    - 1976, "Evolution of the Solar System", Alfven and Arrhenius
    - 1977, "Electric Currents in Cosmic Plasmas", Hannes Alfven
    - 1978, "Interstellar Clouds and the Formation of Stars", Hannes Alfven
    - 1979, "Electric Current Model of the Magnetosphere," Hannes Alfven
    - 1982, "Paradigm Transition in Cosmic Plasma Physics", Hannes Alfven
    - 1985, "Laboratory Experiment on Magnetic Reconnection and Turbulence, Stenzel, Gekelman and Urrutia
    - 1986, "Double Layers and Circuits in Astrophysics", Hannes Alfven
    - 1991, "Physics of the Plasma Universe", Anthony Peratt
    - 1992, "Alfven's Programme in Solar Physics", Stephen G. Brush
    - 1993, "Filamentary Double Layers", Theisen, Carpenter and Merlino
    - 1995, "Alfven Waves and Birkeland Currents", Thomas A Potemra
    - 2001, "On the Global Electric Charge of Stars", Neslusan
    - 2005, "Magnetospheric Plasma Boundaries: A Test of the Frozen-In Magnetic Field Theorem", Lundin, Yamauchi, Sauvaud and Balogh
    - 2007, "Real Properties of Electromagnetic Fields and Plasma in the Cosmos", Donald Scott
    - 2011, "Measurement of Electric Current in a Kpc-Scale Jet, Kronberg, Lovelace, Lapenta and Colgate
    - 2014, "JMP and SAFIRE: What Makes the Sun Shine?", Anderson, Childs, Clarage and Onderco
    - 2015, "Birkeland Currents: A Force-Free Field-Aligned Model", Donald Scott
    - 2015, "Study of Striations in a Spherically Symmetrical Hydrogen Discharge", Morgan and Childs
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Seg 15 Fev 2016, 13:08

Vulcão Sakurajima entra em erupção com ira espetacular na ilha japonesa
Para ler mais clique aqui

Num dia de céu limpo vulcão japonês entrou em erupção com relâmpagos podendo ser avistados acima do fluxo de lava (segunda foto da série).


Foto em zoom do relâmpago junto com a lava, que pode ser considerada como uma forma de "plasma denso".


Estudos tem demonstrado uma alta correlação de erupções solares CME (Coronal Mass Ejection) com atividade vulcânica na Terra, haveria assim um elo eletromagnético entre os dois fenômenos.
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Seg 15 Fev 2016, 14:29

Terremotos e vulcões
Publicado em 27 de novembro de 2015 por Stephen Smith
Artigo original no site Thunderbolts.info

Descargas elétricas na atmosfera são familiares, mas que dizer sobre as subterrâneas?

O fenômeno elétrico que chamamos de raio não é bem compreendido. A interpretação mais comum envolve a circulação de vapor de água para cima e para baixo através das nuvens em um processo chamado de convecção. A água é aquecida pelo Sol até que evapore, subindo no ar, onde ele condensa em nuvens. O vapor de água continua a subir mais e mais, finalmente arrefecendo o suficiente para condensar de volta como líquido. A gravidade da Terra, em seguida, puxa-o de volta para a superfície onde o ciclo se repete.

De acordo com opiniões consensuais, as gotas de água tendem a colidir durante a convecção, batendo elétrons entre si, criando uma separação de carga. Os elétrons acumulam na parte inferior da nuvem, onde adquire uma carga negativa. À medida que as gotículas que perderam um elétron continuam a subir, elas transportam uma carga positiva para parte superior da nuvem.

As regiões de diferencial de carga, ou a separação da carga, formam um campo elétrico entre eles, com uma força diretamente proporcional à quantidade de carga na nuvem. O campo elétrico pode tornar-se tão poderoso que repele elétrons na superfície da Terra, forçando-o a tornar-se positivamente carregado. Um caminho condutor entre as duas regiões pode iniciar uma pancada líder de iluminação que, eventualmente, se conecta com alguma flâmula positiva saindo do chão.

Tal processo não pode explicar o relâmpago vulcânico. A maioria dos cientistas planetários assumem que a causa é semelhante, mas não há evidências experimentais para confirmar esta ideia.

Ao longo dos últimos duzentos anos de reportagens, relâmpagos foram avistados nas nuvens de cinzas que expelem de inúmeras erupções vulcânicas. Exibição de ramificações gigantescas foram fotografadas durante a erupção do Mt. Chaiten em maio de 2008. Houve relatos de bolas de raio maior do que bolas de fisioterapia rolando no chão quando o monte St. Helena entrou em erupção em 1981. Eyjafjallajökull produzidos flashes que iluminavam o céu por muitos quilômetros.

Grandes "correntes telúricas" foram encontradas circulando através da crosta da Terra, porque o nosso campo magnético induz fluxo de corrente em camadas condutoras. Milhares de amperes fluem abaixo da superfície, variando de acordo com a condutividade. Uma vez que o Sol pode afetar o campo magnético da Terra através de tempestades geomagnéticas, as flutuações nas correntes telúricas podem ocorrer quando há um aumento das manchas solares ou erupções solares, porque eles criam oscilações na ionosfera.

Às vezes, os terremotos podem produzir flashes de luz e outros eventos luminosos, também. Bolas de relâmpago foram relatadas acompanhando terremotos, assim como formações do tipo nuvens brilhantes e coloridas flutuando no céu acima do estrato fraturado. Não é de surpreender que as descargas de brilho ocorrem antes e depois de terremotos: a compressão de quartzo cria um fluxo de corrente elétrica. Essa é uma razão pela qual o ruído de rádio pode ser detectado vindo de áreas sob estresse extremo. Mas será que o estresse se deve apenas à compressão?

Quartzo reage ao estresse produzindo eletricidade, mas quando a carga elétrica flui através do quartzo ele vibra com uma frequência coincidente com os watts de potência fornecidos a ele. Num artigo anterior, nosso planeta foi comparado a um capacitor, capaz de ser carregado e descarregado por campos elétricos externos.

Um condensador armazena carga elétrica. Condensadores são construídos de dois condutores, ou "placas", separados por um isolador dielétrico. A carga elétrica sobre uma placa atrai uma carga oposta para o outro, resultando num campo eléctrico entre eles. Conforme aumenta a carga do capacitor, seus campos elétricos aumentam, salientando a capacidade do isolante para separar cargas opostas. Se um potencial suficientemente elevado cresce entre as duas placas condutoras, o isolador dielétrico vai falhar e o condensador irá entrar em curto-circuito de repente, libertando a energia armazenada.

É esse fenómeno que provavelmente contribui para descargas de raios atmosféricos. Energia elétrica armazenada nas nuvens e no solo supera a capacidade da atmosfera para manter as duas cargas separadas, então eles se aproximam um do outro como "pancada líder". Quando os dois relâmpagos líderes se encontram, um circuito entre as nuvens e o solo (ou entre uma nuvem e outra) é concluído e uma explosão de corrente elétrica brilha ao longo do caminho condutor.

Uma vez que o magma pode ser considerado uma forma líquida de plasma, pode também conduzir eletricidade. Como a ionosfera é carregada por erupções solares, carga oposta é atraída para o magma subterrâneo. Correntes elétricas no plasma se comprimem em filamentos e formam camadas duplas. Forças eletromagnéticas entre correntes de filamentos e entre as camadas duplas podem provocar variações bruscas de pressão.

Se, como referido anteriormente, o diferencial de carga entre camadas torna-se demasiado grande, uma camada dupla pode explodir, libertando todo o seu fluxo de energia instantaneamente. Assim, os terremotos podem ser considerados uma forma de relâmpago subterrâneo. Se houver uma quebra nos estratos, permitindo o magma alcançar a superfície, a descarga de arco pode se conectar ao exterior e um raio vai saltar do cone do vulcão.

Se os terremotos são relâmpagos subterrâneos, então, as ondas sísmicas podem ser consideradas os trovões. Nesse caso, é provável que a maior parte da libertação de energia durante um tremor de terra não seja da fratura e circulação de camadas de rocha, mas sim o resultado da energia elétrica detonando dentro da matriz.

Stephen Smith
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  domingos.cjm em Ter 16 Fev 2016, 01:02

Mais notícias s/ EM Driver (em inglês)



O vídeo alega q o experimento com o EM Driver gerou movimento em partículas acima da velocidade da luz com sucesso!
avatar
domingos.cjm
Astronomo Amador
Astronomo Amador

Mensagens : 230
Data de inscrição : 13/06/2015

Voltar ao Topo Ir em baixo

spica Re: NASA já tomou conhecimento do Universo Elétrico, e vc?

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum